fbpx

1000 em 10: o que aprendi ao chegar em 1000 followers do meu podcast Metanoia Lab em 10 semanas.

1 de junho, 2020

Para ouvir o Metanoia Lab no Spotify, clique aqui.

No Apple Podcast, clique aqui.

No Google Podcast, clique aqui. 

Não é segredo para quem me conhece e quem me acompanha aqui, que adoro ler. 

Chego até a reler os livros de negócio dos meus autores preferidos, para separar pontos interessantes e aplica-los á minha vida, a minhas palestras e ao meu conteúdo. Cheguei a ler “Leaders Eat Last” do Simon Sinek umas 3-4 vezes, pelo menos.

Mas nunca fui muito chegado em Podcast: ouvia só de vez em quando, e nunca achei um podcast de negócios bom o suficiente para me prender por 40 minutos seguidos. Talvez alguns episódios do Reid Hoffman, outros do Tim Ferris…mas poucos.

Então, no começo desse anos resolvi criar um, para mim.

Sério: quando tive a ideia do Metanoia Lab, pensei mais em mim do que em qualquer ouvinte. Pensei que fosse uma forma de aprender muita coisa ao longo do caminho, de ter a chance de estudar de novo meus autores preferidos, e, de quebra, conquistar algum ouvinte…Janeiro e fevereiro se passaram super rápidos, na loucura de viagens do “mundo antigo”…e o projeto ficou guardado na gaveta.

Mas um belo dia chegou Março 2020, e com isso a crise do Covid-19 no Brasil, e senti que era esse o timing. Chamei o Rodrigo Lima, que já trabalhava comigo mas estava tocando uma outra área, e lhe perguntei do nada “Topa se dedicar 100% a tirar do papel um Podcast?”. Ele topou. Alinhamos os papeis e responsabilidades do resto da equipe no projeto, e partimos para a execução. 

Agora fazem 10 semanas que o Metanoia Lab está no ar, e comemoramos mais de 1000 inscritos, apenas no Spotify. Trabalhamos muito para isso acontecer, mas, admito, tínhamos ZERO expectativa de conseguir isso. Trabalhamos até mais do que devíamos, no sentido que fizemos muita coisa que não fazia sentido e cometemos muitos erros: mas ai talvez que está o segredo – refletindo muito nos erros, e nos acertos, separei aqui alguns aprendizados que vou compartilhar com você que tem, ou quer ter, um podcast e de como escalar ele com rapidez. (PS: isso não vale apenas para podcast mas pode valer para seu canal de Youtube, seu blog, etc…mesmo que de formas diferentes, se aplica). 

Eu dividi as dicas em 2 grandes blocos: chamei o primeiro bloco de “Content is King”, pois ao final o conteúdo é o principal mesmo e aqui vão todas as dicas relacionadas a produzir um conteúdo [email protected]*A. E chamei o segundo bloco de “Scale the Unscalable”, ou seja como escalar o inescalável, onde se encontram as dicas relacionadas a como crescer o numero de ouvintes, e seus métricas internas.

Vamos então por partes:

CONTENT IS KING

1.Formato: como criar um formato inovador e como definir do que você vai falar.

Eu vejo a maioria dos podcasts com formatos semelhantes, de entrevistas com convidados, bastante improvisados, e que não deixam claro do que se trata ou de alguma forma entretem mas nao agregam muito em conhecimento: ou seja, você acaba de ouvir e já esqueceu. Eu fiquei refletindo muito em como ser inovador, e primeiramente busquei referências e benchmarks: num que achei é o canal de Youtube do Evan Carmichael, onde ele lista as principais frases de grandes pensadores, lideres…mas não as comenta! Eu queria alguém que as comentasse para mim. E por isso criei o formato do Metanoia Lab, onde a cada episódio eu analiso 3 frases (com audio original, e tradução) dos maiores pensadores, lideres, escritores etc do mundo contemporâneo, e nessa analise eu trago múltiplas referencias e exemplos para agregar no conhecimento. Alguns dos motivos pelos quais achei esse formato inovador e poderoso: a) sendo eu sozinho, você não depende da agenda dos outros e consegue seguir o ritmo de produção com mais facilidade; b) é mais fácil de roteirizar com clareza e consequentemente passar um conteúdo melhor; c) tendo os nomes dos autores não titulo, indexa melhor no Store pois aparece como resultado de busca para alguém que está buscando Simon Sinek, e acha o Metanoia Lab; d) é algo único no Brasil pois ninguém fez isso ainda (o Resumocast de alguma forma pode ser semelhante mas ainda o formato é bem diferente. Agora, o importante a dizer é que esse formato não se aplique a você, mas que a busca de formatos inovadores pode ser proveitosa.  

2. Estrutura: como estruturar o podcast para absorver melhor o conteúdo e gerar consistência.

Um dos grandes problemas da maioria dos podcasts é que você não sabe muito bem o que esperar. Eles simplesmente não estão estruturados: a abertura as vezes é de uma forma, ou da outra, o fechamento também, a duração, os temas…isso faz com que seja menos consistente e não favoreça a retenção e até a expectativa do publico fica desalinhada: ao não ter consistência, pode perder ouvintes que não estão interessados na novidades. O que eu fiz foi desenhar um esqueleto muito claro desde o começo (na foto ao lado), que compartilhei com o Rodrigo, e que consistentemente temos seguido. Eu chego até a nao superar certas durações nos blocos par que até em termos de absorção, fique mais fácil de reter o conteúdo. Desenhe o esqueleto do seu Podcast, e mantenha ele consistente a cada episódio.

3. Roteirização: como preparar cada episódio ao melhor e ter roteiro.

O conteúdo e o fluxo do Podcast fica muito melhor e mais claro se for roteirizado. Tem muitos podcasts com entrevistas, ou sem roteiro, que você não consegue acompanhar o raciocínio, e novamente, o conteúdo não é absorvido. Tem vários graus de roteirização, desde escrever alguns bullet points até escrever palavras por palavra. Eu escrevo palavra por palavra, e demoro em torno de 6 a 8 horas (incluindo pesquisas) para roteirizar um episódio inteiro – ter o texto roteirizado também tem outras vantagens, como por exemplo poder publicar ele na internet ou nas redes sociais, como eu tenho feito no site mentanoialab.com.br e semanalmente aqui no LinkedIn (nao canibaliza ouvintes, pelo contrário: quem ouve o podcast de frequente quer reler o texto pra aprofundar o aprendizado, e também quem conhece o podcast via o artigo normalmente prefere ouvir através a minha voz). E atenção: roteirização não é inversamente proporcional a espontaneidade e improvisação: mesmo eu com o roteiro na frente, improviso bastante – o roteiro é um mapa, não é para repetir silaba por silaba. Resumindo, aconselho muito roteirizar ao máximo os episódios do seu podcast porque só traz benefícios (mesmo sendo, eu sei, um trabalho chato e demorado…mas vale cada minuto!).

4. Jornada: como fazer o podcast viver “fora” do Spotify.

Temos que encarar um podcast não apenas um momento único, ou seja o ouvinte ouviu e pronto (mas isso é o que a maioria dos podcasts fazem), mas como mais uma etapa em uma jornada de conhecimento. Ou seja, insira ao longo do Podcast varias referencias externas de livros, outros podcasts, artigos, sites – inclusive até o site do Podcast -, insira chamados a ação ao longo do podcast fazendo os ouvintes irem para o seu site, redes sociais para buscarem mais conhecimento, ou até interagir com um numero de WhatsApp (uma novidade que irei introduzir a partir do episódio 12)…ainda mais porque considerando que você tendo recomendado essas leituras etc, quando o ouvinte estiver lendo isso estará pensando “opa, foi o Metanoia Lab que me recomendou” e você está sempre top of mind. Especialmente para o episódio 10, eu e o Rodrigo preparamos um ebook de 70 paginas que distribuímos de graça e que já sabemos estar rolando em vários grupos de WhatsApp, o que é ótimo! Porque realmente, ao final lembre que o podcast é mais uma etapa em uma jornada de conhecimento que você está oferecendo ao ouvinte, e que não é apenas um momento isolado. Esse seria um grande erro, mas é o que o 99% pensa. 

5. Qualidade: como gravar e editar com qualidade e com agilidade, obtendo o melhor resultado.

Obviamente, um audio de boa qualidade, ótimos textos de apoio e descrição de cada episódio, e materiais gráficos bonitos (que a minha namorada Erika Miranda fez especialmente de presente para mim) são fundamentais para uma melhor absorção dos conceitos, uma melhor experiencia e para passar a imagem de profissionalismo e, para quem nunca ouviu, de “quero ouvir” quando se depara pela primeira vez com o Podcast. Eu pessoalmente uso um equipamento super básico mas de qualidade: tenho um microfone Shure MV88 que pluga no iPhone e gravo diretamente no celular, ai mando os audios (que com esse microfone ficam de qualidade ótima) para o Rodrigo que os edita no Anchor…além de uma ótima qualidade do resultado, desenhamos um processo super agil que nos faz produzir com rapidez. Ou seja, busque sim uma ótima qualidade mas nao complexifique demais!

Vamos lá agora para a segunda parte…

SCALE THE UNSCALABLE

6. CRM: como aproveitar a sua rede mandando mensagem personalizada para todo o mundo.

Ninguém vai saber que você tem ou lançou um Podcast se você não comunicar isso, e espero as pessoas “acharem” ele no meio dos milhares de podcasts ótimos que tem no Spotify, Google Podcasts etc. Mas também não ache que apenas postar no feed das suas redes sociais ou no Stories, independentemente de quantos seguidores você possa ter, vai dar o impacto suficiente…não: você deve mandar mensagem personalizada para todo mundo da sua base, um por um. O dedo vai chegar a doer, como no meu caso. Mando centenas de inbox toda semana para pessoas que não conhecem o podcast mas estão em minhas redes, como LinkedIn (onde hoje tenho 53mil seguidores) e Instagram (onde tenho 35mil)…e quando digo personalizada, é realmente com o nome, contextualizando as vezes pela empresa, pois padronizada parece um robô! Chegou até um ponto onde um contato meu respondeu: “nossa, como esse seu robô é humano!”. Ai eu respondi “o robô é meu dedo, meu caro!”. Isso é realmente como você escala o inescalável, ou seja como você se comunica de forma personalizada com milhares de pessoas,…é um desafio, mas é chave para conseguir!

7. Listas: como criar listas de ouvintes contantes para notificar a cada episódio.

A partir do envio de mensagens, é importante entender quem quer continuar a receber notificações de novos episódios, e quem não: você nao vai querer bombardear de notificações quem não quer ouvir mesmo, e não vai querer esquecer de quem é fiel. Por isso, eu sempre mando uma mensagem de follow-up perguntando “Se curtiu o Podcast e quiser receber notificação aqui por Inbox a cada novo episódio quarta de manhã, me avisa aqui que coloco na lista? :)”, e se receber um ok, coloco em uma lista separada (que para o LinkedIn mantenho em um Google Docs, e no Instagram na aba General), que a cada novo episódio notifico. Eu até chamo os fãs do podcast que estão na lista de Metanoia Lovers, pois são quem realmente curte muito o Podcast. E realmente é sua responsabilidade notificar dos novos episódios, porque se esperar que as plataformas notifiquem ou que os ouvintes se deem conta dos novos episódios…boa sorte! Essa é responsabilidade sua mesma, e tem que criar listas no Instagram, LinkedIn e WhatsApp, pelo menos.

8. Calls to Action: como criar gatilhos para os ouvintes compartilharem o podcast.

Você vai querer fazer com que seu ouvinte fiel vire seu parceiro de divulgação, de alguma forma um braço a mais de marketing…e de fato é: os ouvintes fieis são seu maior impulsionador de crescimento pois são quem o recomendam, no boca a boca ou nas redes sociais. Como conseguir isso? Com Call to Actions claros, ou como eu os chamo, de “catalisadores de conteúdo” para gerar User Generated Content (UGC). No podcast em si, sempre peço na abertura e no final de fazer um print do podcast me marcando se tiverem gostado (e isso acontece muito), assim como o faço quando envio minha mensagem semanal para a lista ou para novos contatos. Agora, temos quer pensar que o formato mais compartilhavel é no WhatsApp, pois com apenas um forward, um ouvinte pode viralizar entre grupos. Por isso, preste particular atenção a sua estratégia de WhatsApp pois é onde é mais facilmente “recomendável”para seu ouvinte. Sem spoilers, mas a partir do episódio 11 terá uma enorme novidade que irá gerar ainda mais compartilhamentos via WhatsApp….fique ligado que isso é super inovador e até agora não vi em nenhum podcast do mundo!

9. Convidados: como cocriação pode te abrir a novos ouvintes.

Eu comentei anteriormente que não queria convidados, mas vou especificar: eu não queria necessariamente ter convidados ao vivo, gravando ao mesmo tempo: isso ia ferrar com meu esquema de estrutura, roteirização e agenda. Agora, convidados são maravilhosos, ainda mais no esquema que desenhei: através de audios no WhatsApp que eles me mandam e o Rodrigo edita no Podcast, eles respondem a algumas minhas perguntas que são perfeitas para o meu roteiro. Tive a contribuição do Pedrinho Salomão no episódio da Michelle Obama, assim como da Juliana Goes no episódio da Oprah…e ainda muito vai vir, sem spoiler, mas é só coisa boa! Para mim é sensacional porque agrega muito ao conteúdo, também ajuda a dar uma quebra ao meu monologo (tudo bem mas 40 minutos da minha voz com sotaque italiano, quem aguenta?) , e também porque consigo novos ouvintes através dos meus convidados (seus seguidores muitas vezes), que podem acabar gostando do Podcast e seguindo.

10. Episódios “Hero”: como ter episódios “Hero” pode atrair novos ouvintes.

Cada episodio é diferente, e vai performa de forma diferente. Nao adianta se empolgar muito porque um episódio bomba, e depois ficar triste porque o episódio seguinte vai mais devagar…isso faz parte da natureza das coisas: no meu caso, nao da para esperar que as pessoas reajam da mesma forma a Brené Brown (que está super em alta) e ao Ben Horowitz (que mesmo que tendo temas incríveis, é menos conhecido)…assim como em qualquer podcast com convidados, ou em fim até de noticias, terá sempre uma certa variação. Mas para crescer você precisa de vez em quando (e no meu cado, me coloco o objetivo de fazer isso a cada 3 episódios no máximo), de um episódio Hero: quele episódio que tem tanta força que você sabe que vai bombar. No meu caso, abri com tudo: comecei com o Simon Sinek, que despertou um super interesse no Podcast e até hoje, é ainda o mais ouvido e escolhido todo dia (mesmo sendo o primeiro), depois apostei no Bill Gates no eposiodio 5 como Hero mas nao deu certo, mas depois tive 2 semanas fortíssimas com Brene Brown e Michelle Obama…e os episódios Hero são de frequente tua porta de entrada ao Podcast: um novo ouvinte que nunca tenha ouvido falar do Metanoia Lab, com certeza irá ficar bem mais atraído ao podcast se você lhe mandar inbox avisando de um episódio da Brené Brown do que o Ben Horowitz (de novo, usando o exemplo dele tadinho rs, ele não merece isso), mas uma vez que ouviu a Brene e gostou do formato do podcast, pode pensar “Hey, nem sei quem é esse tal de Ben Horowitz mas vou ouvir mesmo assim porque gosto do Metanoia Lab!”.

Bom, posso dizer que nessas dez semanas eu aprendi muita coisa, mas muita ainda tenho a aprender: se penso no monte de novidades, experimentos e testes nos próximos episódios, fico super animado ao mesmo tempo que ansioso. Ainda espero fazer muitos artigos assim, mas nao apenas para comemorar novos objetivos de seguidores, mas sim para poder compartilhar o que deu certo e errado, e poder aprender pela troca que possa nascer desse artigo (coloque nos comentário suas opiniões, experiencias, reclamações, elogios, etc 🙂 para gerarmos uma discussão legal! 

Ah, e se tivesse um ponto extra, talvez o mais importante, é se cerque de pessoas incríveis. Eu tenho o Rodrigo, todo o time do Metanoia Lab, a minha namorada Erika tocou toda a parte gráfica, e todo o time da DMT Palestras que me apoiam em tudo desse podcast.

Uma ultima palavra sobre Podcast: eles são o futuro, e a cada vez mais consumiremos audio acima de video, eu tenho certeza. Quantos cursos online video poderíamos substituir por podcasts? Eu diria acima de 90%. Também, podemos ouvir audio enquanto fazemos outras atividades, enquanto o video precisa de você parado observando uma tela, Obvio que o video é importantíssimo e continuará fortíssimo, mas o que eu quero dizer é que muito dele pode ser substituído (ou complementado) por audio….e ainda pensa no crescimento de smart speakers como Alexa….bom, eu poderia seguir com inúmeros motivos pelos quais a hora de investir em (ou até lançar) o seu podcast é agora. 

Espero tenha curtido as dicas, me conta o que achou?

Ciao,
EU SOU O ANDREA

EMPREENDEDOR. PALESTRANTE. NÔMADE. CRIADOR DE CONTEUDO. INVESTIDOR. MINIMALISTA.

Aqui vai encontrar algumas idéias, reflexões e conteúdos sobre os temas que mais me apaixonam.

Desde como desenhar seu próprio estilo de vida, até como ter sucesso no meio da Transformação Digital, tudo é voltado a gerar provocações intelectuais que incentivem MUDANÇA em nossas vidas.

 

Saiba mais

Para contatos comerciais, elogios e reclamações, ou apenas para trocar ideia comigo! Escreva sua mensagem abaixo 👇

@aiorio_br